Banho no tanque, jambo e mijacão: memórias de um curumim

Vale a pena sentar com eles no fim da tarde em frente à casa para ver o movimento da rua e ouvi-los contar suas histórias, mesmo que seja a história repetida da última visita. Afinal, eles têm uma vida toda, cheia de histórias e experiências para que se perca no tempo. É preciso olhar para eles, dá ouvidos a eles, aprender com eles como viver a vida de forma que se possa deixar aos outros, pelo menos, boas lembranças.

O relato de um pai recém-nascido

Escrevo este texto com a clareza que minhas palavras não conseguirão traduzir plenamente a experiência que quero descrever. Na verdade, nenhum livro, nenhum manual, nenhum guia será capaz de fazer isso com precisão. Mesmo assim, vou tentar explicar aquele momento, que, para mim, é paradoxal. E, de antemão, peço que me perdoem se eu cair…