Os que têm transtornado o mundo, chegaram também aqui

Uma menina do Piauí que aos treze anos de idade trabalhava como atendente de caixa de supermercado. Um curumim criado na beira do rio tomando banho de cuia. Um chileno que cresceu em um orfanato. Uma menina da Bahia que tinha vergonha da casa em que morava. O que poderia unir essas pessoas tão distantes…

Tal pai, tal filha

Eles são tão parecidos… Ele gosta de pipoca, e ela tbm Ele ama o pequeno príncipe, e ela tbm Ele ronca, e ela tbm! 😱 Eles amam chocolate, comem tudo e não deixam nada para mim 😒 É, não é só a cara que é igual… se eu fico enciumada? Não! É tão lindo de vê esses…

Morango e “iorgute” ou tapioquinha com café?

De manhã, ela abre a geladeira e pede: “Dá, dá…”. Eu pego a caixinha e retiro a embalagem; lavo e corto em pedaços aqueles morangos vermelhinhos. Ela come um e pede o segundo. Dois, três, quatro… devora quantos tiver. “Morango é fruta de rico”, lembro que era assim que eu pensava, quando eu era curumim.…

Teve choque cultural sim!

Estamos em nosso décimo sétimo dia na Vila do Torto, no Delta do Parnaíba. Já levamos muitas picadas de carapanã, tomamos banho no rio, comemos ostra, caranguejo, peixe, siri, andamos no quadriciclo e descobrimos que não estamos no Piauí. Isso mesmo! A vila do Torto fica no território do Maranhão e não do Piauí. Mas isso…

Um estágio no reduto dos carapanãs

Pra chegar aqui foram cinco paradas: Rio de Janeiro, Fortaleza, Natal, Fortaleza de novo e Parnaíba. Pegamos ônibus, avião, ônibus de novo e barco. Aí finalmente chegamos na Vila do Torto, na Ilha das Canárias, que fica na região do Delta do Parnaíba, entre os estados do Piauí e Maranhão. Como é a comunidade? Imagine…